12 de junho de 2008

na ampla tela azul
nenhuma brisa
nuvens
personagens da moldura
entorpecidas texturas uma a uma
como se lançadas a tinta
pousam
não se escuta vento
nem levanta poeira
terra chão batido
vermelho
a sua maneira o tempo
exausto de tanto ofício
dorme sob o céu de
domingo


Juliana Meira
Ruínas de São Miguel das Missões, fotografia de Wilson Icasatti Ramires.

6 comentários:

Adauto A. S. Suannes disse...

"O tempo dorme sob o céu de
domingo". O tempo, qual trabalhador incansável, descansa no sétimo dia. Lindo isso.

Juliana Meira disse...

em cheio poetAdauto!
(=
grata por tua leitura.
grande abraço!

Anônimo disse...

oi,
obrigado por colocar o crédito em minha foto.

Lindo poema!
ass wilson ramires

Juliana Meira disse...

tua foto é linda linda, Wilson!
eu é que agradeço por ela fazer parte do tempoema.

abraço

Aroeira disse...

"a sua maneira o tempo
exausto de tanto ofício
dorme sob o céu de
domingo"

muito bom!

Juliana Meira disse...

legal, Aroeira!

muitobrigada

12 de junho de 2008

na ampla tela azul
nenhuma brisa
nuvens
personagens da moldura
entorpecidas texturas uma a uma
como se lançadas a tinta
pousam
não se escuta vento
nem levanta poeira
terra chão batido
vermelho
a sua maneira o tempo
exausto de tanto ofício
dorme sob o céu de
domingo


Juliana Meira
Ruínas de São Miguel das Missões, fotografia de Wilson Icasatti Ramires.

6 comentários:

Adauto A. S. Suannes disse...

"O tempo dorme sob o céu de
domingo". O tempo, qual trabalhador incansável, descansa no sétimo dia. Lindo isso.

Juliana Meira disse...

em cheio poetAdauto!
(=
grata por tua leitura.
grande abraço!

Anônimo disse...

oi,
obrigado por colocar o crédito em minha foto.

Lindo poema!
ass wilson ramires

Juliana Meira disse...

tua foto é linda linda, Wilson!
eu é que agradeço por ela fazer parte do tempoema.

abraço

Aroeira disse...

"a sua maneira o tempo
exausto de tanto ofício
dorme sob o céu de
domingo"

muito bom!

Juliana Meira disse...

legal, Aroeira!

muitobrigada