16 de fevereiro de 2008

folheando um livro antigo
página por página
meus dedos colheram
a poeira das palavras


Juliana Meira
Imagem de Jorge Palha
Esse poema também está em: www.alexandre-brito.blogspot.com/

4 comentários:

Carol disse...

oiii, eu achei muito legal este poema q fala dos livros adorei
beijao

Renato de Mattos Motta disse...

tenho que procurar nos meus alfarrábios
um poema muito antiguinho
que parece feito pra falar com este teu
...gozado isto...
descobrir intertextualidades entre textos que não se conhecem!

Denise disse...

Devemos fazer isso quando recordamos coisas ruins q aconteceram no passado, não prestar atenção, fazer tudo virar poeira, pq podemos limpar, apagar...perfeito!!

Silêncio disse...

Tanto domínio na arte do Haicai, por que deixou este inacabado, Juliana Meira?

16 de fevereiro de 2008

folheando um livro antigo
página por página
meus dedos colheram
a poeira das palavras


Juliana Meira
Imagem de Jorge Palha
Esse poema também está em: www.alexandre-brito.blogspot.com/

4 comentários:

Carol disse...

oiii, eu achei muito legal este poema q fala dos livros adorei
beijao

Renato de Mattos Motta disse...

tenho que procurar nos meus alfarrábios
um poema muito antiguinho
que parece feito pra falar com este teu
...gozado isto...
descobrir intertextualidades entre textos que não se conhecem!

Denise disse...

Devemos fazer isso quando recordamos coisas ruins q aconteceram no passado, não prestar atenção, fazer tudo virar poeira, pq podemos limpar, apagar...perfeito!!

Silêncio disse...

Tanto domínio na arte do Haicai, por que deixou este inacabado, Juliana Meira?