20 de fevereiro de 2008


urso panda não gira ciranda
toca pandeiro em roda de samba
de pelagem preta e branca
com seu ziriguidum a todos espanta

-mais parece uma carranca!
fala o mestre sala à baiana

mas não há porque ter medo
acabado o enredo
amanhece a noite escura
no olhar do panda quanta ternura


Juliana Meira

8 comentários:

Carol disse...

Eu achei o poema eo blog muito legal sobre poemas o poema do urso panda é muito engraçado e legal!!!
parabens pelo blog

PenMeira disse...

Gostei muito de suas poesias, achei legal as relação que você faz com as figuras.
Continue assim vai que me torno irmã de uma poeta famosa né rsrsrs
PARABÉNS PELO BLOG

Cleanto disse...

Querida colega Juliana!

O trabalho do poeta, é tentar ir em busca do desafio maior, despir a verdade e passar a mensagem. É por isso que - no meio - se ouve e afirma: ... aos poetas e as mulheres silenciosas pertencem todas as verdades do mundo. Um abraço em sinal do meu respeito e admiração e um Viva!!!, ... para brindar a tua entusiasmante iniciativa e demonstração de amor pela arte da escrita, que através da poesia, é a manifestação humana mais sublime dos gritos da alma. Cleanto Farina Weidlich - do teu torrão natal - RS.

Gabriel disse...

bah muito tri!...
loco mesmo!
parabens pelo blog prima querida!
tem futuro tem futuro!ushsa
tri mesmo!

Alessandra disse...

Achei bem legal teu blog, gostei muito dos poemas e do ursinho panda
hehehehhehe
parabens pelo teu blog!!

Denise Lacortte disse...

Ju...to morrendo d saudade e fiquei muito emocionada qdo vi minha foto no teu blog...eu to linda no mio desse matinho né? eu sou a ursa mais fofa do mundo rsrsrsrsrs....te adoro, flor! parabéns tá muito lindo teu blog!

Alexandre disse...

eba!!!
viva o urso panda!

:o)

beiJu.

Renato de Mattos Motta disse...

Parece que estou vendo teu panda:
pandeiro na mão,
vestido de Mário Pirata
numa ciranda girando
poesia na roda

20 de fevereiro de 2008


urso panda não gira ciranda
toca pandeiro em roda de samba
de pelagem preta e branca
com seu ziriguidum a todos espanta

-mais parece uma carranca!
fala o mestre sala à baiana

mas não há porque ter medo
acabado o enredo
amanhece a noite escura
no olhar do panda quanta ternura


Juliana Meira

8 comentários:

Carol disse...

Eu achei o poema eo blog muito legal sobre poemas o poema do urso panda é muito engraçado e legal!!!
parabens pelo blog

PenMeira disse...

Gostei muito de suas poesias, achei legal as relação que você faz com as figuras.
Continue assim vai que me torno irmã de uma poeta famosa né rsrsrs
PARABÉNS PELO BLOG

Cleanto disse...

Querida colega Juliana!

O trabalho do poeta, é tentar ir em busca do desafio maior, despir a verdade e passar a mensagem. É por isso que - no meio - se ouve e afirma: ... aos poetas e as mulheres silenciosas pertencem todas as verdades do mundo. Um abraço em sinal do meu respeito e admiração e um Viva!!!, ... para brindar a tua entusiasmante iniciativa e demonstração de amor pela arte da escrita, que através da poesia, é a manifestação humana mais sublime dos gritos da alma. Cleanto Farina Weidlich - do teu torrão natal - RS.

Gabriel disse...

bah muito tri!...
loco mesmo!
parabens pelo blog prima querida!
tem futuro tem futuro!ushsa
tri mesmo!

Alessandra disse...

Achei bem legal teu blog, gostei muito dos poemas e do ursinho panda
hehehehhehe
parabens pelo teu blog!!

Denise Lacortte disse...

Ju...to morrendo d saudade e fiquei muito emocionada qdo vi minha foto no teu blog...eu to linda no mio desse matinho né? eu sou a ursa mais fofa do mundo rsrsrsrsrs....te adoro, flor! parabéns tá muito lindo teu blog!

Alexandre disse...

eba!!!
viva o urso panda!

:o)

beiJu.

Renato de Mattos Motta disse...

Parece que estou vendo teu panda:
pandeiro na mão,
vestido de Mário Pirata
numa ciranda girando
poesia na roda