8 de abril de 2008


Pensão familiar
(Manuel Bandeira)



Jardim da pensãozinha burguesa.
Gatos espapaçados ao sol.
A tiririca sitia os canteiros chatos.
O sol acaba de crestar as boninas que murcharam.
Os girassóis
-----------------amarelo!
--------------------------------------resistem.

E as dálias, rechonchudas, plebéias, dominicais.

Um gatinho faz pipi.
Com gestos de garçom de restaurant-Palace
Encobre cuidadosamente a mijadinha.
Sai vibrando com elegância a patinha direita:
- É a única criatura fina na pensãozinha burguesa.


Esse poema está no livro "Libertinagem".
Na foto Lili, irmã mais velha da Pin.

2 comentários:

Henrique disse...

Boa escolha!
De poema e de imagem.
Parabéns pelo "há no olho do gato".
Bj

Denise disse...

Que gato fofo esse que faz xixi...adorei!!! rsrsrsr

8 de abril de 2008


Pensão familiar
(Manuel Bandeira)



Jardim da pensãozinha burguesa.
Gatos espapaçados ao sol.
A tiririca sitia os canteiros chatos.
O sol acaba de crestar as boninas que murcharam.
Os girassóis
-----------------amarelo!
--------------------------------------resistem.

E as dálias, rechonchudas, plebéias, dominicais.

Um gatinho faz pipi.
Com gestos de garçom de restaurant-Palace
Encobre cuidadosamente a mijadinha.
Sai vibrando com elegância a patinha direita:
- É a única criatura fina na pensãozinha burguesa.


Esse poema está no livro "Libertinagem".
Na foto Lili, irmã mais velha da Pin.

2 comentários:

Henrique disse...

Boa escolha!
De poema e de imagem.
Parabéns pelo "há no olho do gato".
Bj

Denise disse...

Que gato fofo esse que faz xixi...adorei!!! rsrsrsr